sábado, 15 de fevereiro de 2014

Apresentação do Livro O Gaúcho de Fronteira

Apresentação do livro
"Gaúcho de Fronteira,
uma análise sobre sua representação simbólico-cultural", de Cezar Augusto Rodrigues e Fábio Gudolle



Este livro é a junção de dois textos dos bacharéis em comunicação social, com habilitação em jornalismo pela Universidade Federal do Pampa (Unipampa - campus São Borja), Fábio Gudolle e Cezar Augusto Rodrigues, que são fronteiriços e missioneiros, sendo o primeiro natural de Itaqui e o segundo de São Borja, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul.
Naturalmente, por morarem separados da Argentina apenas pelo Rio Uruguai, eles se consideram privilegiados para pesquisar sobre a influência dos países platinos na identidade do gaúcho de fronteira. O que motivou a concepção deste trabalho foi o interesse de ambos em conhecer suas origens.  
A primeira parte desta obra versa sobre a influência da identidade platina na formação da cultura do gaúcho de fronteira. Ela propõe uma discussão acerca de uma identidade distinta do restante de outras regiões do Estado do Rio Grande do Sul: a identidade de fronteira. E para isso recorre aos conceitos de cultura propostos por Maria Elisa Cevasco, assim como também de identidade cultural na pós-modernidade defendida por Stuart Hall. Para isso, utilizou-se como corpus quatro músicas nativas compostas por autores da região de fronteira entre Brasil, Argentina e Uruguai, que se destacam no meio cultural. Desta forma, optou-se por utilizar a Análise de Discurso Crítica proposta por Norman Fairclough para encontrar elementos que corroboram a proposta deste trabalho de sugerir que existe uma identidade cultural homogênea entre as três fronteiras. Ao final da primeira parte trabalho conclui-se que existe, por parte da produção cultural local, um empenho em manter e difundir a identidade do gaúcho primitivo independentemente de que lado da fronteira ele se encontra.
Na segunda parte, destaca-se o território como elemento essencial para a formação da identidade cultural do gaúcho de fronteira. Para situar o leitor, o autor buscou o conceito de território do geógrafo e pesquisador Rogério Haesbaert, que diferencia território de territorialidade, mas que são interdependentes na formação simbólica da cultura e identidade do indivíduo no seu espaço de vivência.
Este texto, nem de perto tem a pretensão de ser conclusivo ou definir caminhos, apenas deseja contribuir para a reflexão sobre a formação da identidade do indivíduo e sua coletividade. Ele tem o intuito de mostrar que saber qual a sua origem é de grande importância para o autoconhecimento e, consequentemente, entender os processos de convivência coletiva. 

Os autores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Portfólio: Cezar Brites

create with flickr badge.